Maio, 2013

Descoberta Cientíca da Universidade Bar-Ilan 

No verão de 2012 em Israel, foi descoberto, durante escavações em Tel Tzafit (a cidade filistéia de Gath), o Altar filisteu dos Reis de Judá. Estas escavações, foram realizadas por arqueólogos da Universidade Bar Ilan. A descoberta foi considerada o “achado arqueológico do ano” pela revista – Biblical Archaeology Review.

Foi durante as últimas escavações em Tel Tzafit que os escavadores encontraram um altar do século 9 ac. O achado foi motivo de  muita emoção para os pesquisadores, que fizeram escavações cautelosas e precisas, por duas semanas. Após a descoberta, o altar foi levado sigilosamente e de forma muito segura para o laboratório de arqueologia da Universidade Bar Ilan.

Tel Tzafit (Tel A - Safi planícies da Judéia, perto do cruzamento de Ram) é uma das escavações mais antigas, a maior e mais importante de Israel, que resultou em descobertas ricas e únicas que se relacionam e ilustram as descrições bíblicas, como: orações e utensílios de uso diário com figuras e inscrições nas cerâmicas e nas ferramentas. Estes resultados são a prova da prosperidade que existia na cidade filistéia de Gath,  próximo ao local da batalha entre Davi e Golias.

Todos estes tesouros são levados para o laboratório no Departamento de Arqueologia da Universidade Bar Ilan, onde passam por um processo de restauração, reconstrução e análise do grau de significância de cada elemento.

O Prof Aharon Meyer, diretor das escavações em Tel Tzafit nos últimos 15 anos: "Nós, arqueólogos, conseguimos voltar no tempo e ver mais claramente o que era viver no reino de Judá. Como eram as pessoas? Que ferramentas e utensílios usavam? Podemos experimentar a vida de povos e culturas que viveram na Terra de Israel nos tempos antigos. A Arqueologia consegue transformar o texto bíblico, que algumas vezes nos parece tão distante, em um texto cheio de vida e realidades.

O Prof. Meyer considera essas escavações sob uma abordagem única: “Pesquisadores de ciências exatas se unem aos escavadores, e na área de estudo, temos aproximadamente 30 escavadores de diferentes especialidades - geólogos, sismólogos, arqueólogos, botânicos e especialistas de outras disciplinas. Vários métodos de pesquisa, combinados com a escavação  permitem a reconstrução mais exata da relação entre o homem e seu meio ambiente e as mudanças que ocorreram em mais de 6000 anos. As escavações recomeçam anualmente em julho. É nesse período que cerca de 120 alunos chegam do mundo inteiro a Israel e podem participar do dia a dia de uma escavação, dormindo, escavando, participando de conferências e viajens por todo o país – tudo sempre em um ambiente academico.